Física Pai d'égua
UNIRIO 2008

UNIRIO 2008

8 questões





1. (UNIRIO 2008) O gráfico ao lado mostra o comportamento de um motorista, testando seu carro novo. Ele parte do repouso de um sinal, imprimindo ao carro uma aceleração constante sem saber que a 200 m à sua frente existe um “pardal” que multa, fotografando carros com velocidades superiores a 54 km/h. Aos dez segundos, após a arrancada e com velocidade de 35 m/s, ele percebe a presença do “pardal”. Sobre a situação proposta, podemos afirmar que



a) quando ele percebe o “pardal”, ele já foi multado.
b) quando ele percebe o “pardal”, ele se encontra a 20 m do mesmo.
c) com essa velocidade, 35 m/s, ele pode passar que não será multado.
d) para não ser multado, ele deve imprimir ao seu carro uma desaceleração de 20 m/s2.
e) para não ser multado, ele deve imprimir ao seu carro uma desaceleração de 3,5 m/s2.


2. (UNIRIO 2008) Em uma experiência com um corpo em repouso sobre uma superfície rugosa, um aluno, aplicando a força F1 como mostrado na FIGURA 1 ao lado, observa que o corpo não se move, embora fique na iminência de se mover. Um outro aluno, seu colega, aplica, ao mesmo corpo, a força F2, mostrada na FIGURA 2. Sobre a experiência, os estudantes fazem as quatro afirmações a seguir:

I- A resultante das forças que agem sobre o corpo é igual a zero na FIGURA 1.
II- Na FIGURA 2, a resultante das forças sobre o corpo vale 10 N.
III- Na FIGURA 2, a resultante das forças sobre o corpo vale 20 N.
IV- Na FIGURA 2, a força da superfície sobre o corpo tem como componente uma força de atrito de valor de 20 N.

Com relação às afirmações feitas pelos alunos, pode-se dizer que eles se equivocaram nas de números:



a) II, apenas.
b) I e IV, apenas.
c) II e III, apenas.
d) III e IV, apenas.
e) II, III e IV, apenas.


3. (UNIRIO 2008) “Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e regulamentos vários.”
Carlos Drummond de Andrade

Sobre o eclipse citado nos versos de Drummond, se for um eclipse total do Sol, afirma-se que ele ocorrerá

a) durante o dia e em fase de Lua Cheia.
b) durante o dia e em fase de Lua Nova.
c) durante a noite e em fase de Lua Nova.
d) durante a noite e em fase de Lua Cheia.
e) sempre durante o dia, em qualquer fase de Lua.


4. (UNIRIO 2008) Na aula de Geradores, um estudante aprendeu que um gerador real não consegue dispor para o circuito externo toda a sua potência. Este fato ocorre devido à existência de sua resistência interna (r). A conseqüência disso é que se pegarmos uma pilha comum do tipo AA, na qual está escrito 1,5 volts e montarmos um circuito com ela, ao medirmos a diferença de potencial do circuito ela sempre se apresentará menor que 1,5 volts, daí serem diferentes os conceitos de força eletromotriz e diferença de potencial, embora ambas sejam expressas em volts.
O estudante aprendeu também que o voltímetro (considerado aqui ideal) pode medir tanto a diferença de potencial de qualquer trecho do circuito, como a força eletromotriz do gerador, dependendo de como ele é usado. Observando os circuitos a seguir, em que os elementos de mesma natureza são idênticos, vemos que, no primeiro, a chave C encontra-se aberta; no segundo, fechou-se a chave e, no terceiro, o voltímetro



Assinale a alternativa correta. mudou de posição, mantendo-se a chave fechada.

a) No primeiro circuito, o voltímetro indica a força eletromotriz do gerador e nos dois outros, ele indicará um valor diferente do indicado no primeiro circuito, que é a diferença de potencial nos terminais do resistor (R).
b) Nos três circuitos, o voltímetro indicará tanto a diferença de potencial nos terminais do resistor como a força eletromotriz do gerador, que são valores idênticos.
c) No segundo e no terceiro circuitos, ele indicará a diferença de potencial nos terminais do resistor, mas serão valores diferentes.
d) Pelo fato de o circuito se encontrar com a chave C aberta na primeira figura, ele não indicará valor nenhum.
e) Nos três circuitos encontramos erro, pois o voltímetro está ligado em série.


5. (UNIRIO 2008) “Fuligem tem impacto no aquecimento global

Um novo estudo, divulgado nos Estados Unidos, indica que a fuligem pode ter um impacto significativo no aquecimento global.

Segundo a pesquisa, realizada por cientistas da Nasa (a agência espacial americana), partículas de fuligem na atmosfera - produzidas pela queima de madeira, carvão ou óleo diesel - se acumulam sobre a neve e sobre o gelo.”

BBC/BRASIL.COM

O derretimento do gelo pode ser explicado porque a fuligem

a) provoca o comportamento anômalo da água.
b) diminui o calor específico do gelo.
c) aumenta o calor específico do gelo facilitando o seu derretimento.
d) cede capacidade térmica para o gelo.
e) aumenta a absorção de radiação infravermelha.


6. (UNIRIO 2008) Um professor de física realiza uma experiência simples em sala de aula. Ele pega um pedaço de giz e o abandona, a partir do repouso. Após o giz ter se chocado com o solo, ele pergunta aos alunos quais podem ser as conclusões relacionadas à experiência realizada.

Os alunos apresentam as seguintes possibilidades:

I) O giz caiu.
II) A Terra subiu.
III) Os dois (Terra e giz) se aproximaram.
IV) Não há outra alternativa, a Terra ficou parada.

Podem ser consideradas corretas, apenas, as afirmativas

a) I, II, III e IV.
b) I, II e III.
c) I, III e IV.
d) I e IV.
e) I e III.


7. (UNIRIO 2008) Um candidato ao Vestibular da UNIRIO conseguiu ser classificado entre os primeiros colocados. Resolveu, então, comemorar com os amigos e tomou sozinho uma garrafa de dois litros de refrigerante. O valor calórico deste refrigerante era de 425kcal por litro. Como o candidato sentia-se um pouco acima do peso, uma vez que o seu índice de massa corporal (IMC) era de 25,0kg/m2 e sua altura 2,0m , ele pensou em subir uma escada utilizando as calorias obtidas com a total ingestão do refrigerante. Admitindo que numa escada, os degraus têm cada um, 20 centímetros de altura e que o campo gravitacional local é igual a 10m/s2, quantos degraus ele teria que subir para gastar todas essas calorias?

dado: 1cal = 4,2 J

a) 1758
b) 8925
c) 3570
d) 4250
e) 13780


8. (UNIRIO 2008) Rosa de Hiroshima

Pensem nas crianças
Mudas telepáticas
Pensem nas meninas
Cegas inexatas
Pensem nas mulheres
Rotas alteradas
Pensem nas feridas
Como rosas cálidas
Mas oh não se esqueçam
Da rosa da rosa
Da rosa de Hiroshima
A rosa hereditária
A rosa radioativa
Estúpida e inválida
A rosa com cirrose
A anti-rosa atômica
Sem cor sem perfume
Sem rosa sem nada

Vinicius de Moraes – Antologia Poética



Em Rosa de Hiroxima, são retratados alguns dos horrores associados à explosão de uma bomba atômica, na cidade de Hiroshima, ocorrida no Japão, em 06 de agosto de 1945, ao final da Segunda Guerra Mundial. Como podemos observar na Figura I, a nuvem gerada pela explosão forma uma estrutura geométrica, que o poeta associou, em seu poema, à forma de uma rosa. A explosão deste tipo de bomba só foi possível após a descoberta da equação E = mc2 , onde E é a energia, m é a massa e c é a velocidade da luz no vácuo, obtida por Albert Einstein, no início do século passado. A equação indica que é possível transformar matéria em energia. Após a explosão da bomba em Hiroshima, teriam perguntado a Einstein como ele imaginava que seria a Terceira Guerra Mundial. Ele, amargurado com a invenção da bomba atômica, teria dito: “Não tenho a menor idéia de como será a Terceira Guerra Mundial, mas tenho certeza de como será a Quarta: com paus e pedras”.

Analisando a Figura I, podemos afirmar que a estrutura observada na imagem da bomba explodindo foi gerada predominantemente pela (o)

a) equilíbrio térmico.
b) calor específico.
c) irradiação.
d) condução.
e) convecção.


Respostas 1. d    2. c    3. b    4. a    5. e    6. b    7. a    8. e   

Banco de questões de Física
UNIRIO 8 questões